Células

30/07/2018 - O Sonho de Nabucodonosor

ESTUDO DA CÉLULA

        

O Sonho de Nabucodonosor

 

Pr. José Gino Borges

 

31 de Julho de 2018.

 

  RESUMO DA MENSAGEM

Texto: Daniel 2:1 a 19 e 26 a 48. O Capítulo 2 de Daniel nos fala que Deus deu a Nabucodonosor um sonho. Havia uma mensagem especial da parte de Deus ao rei, e que por extensão chegaria até os últimos dias da história da humanidade. Ao acordar, Nabucodonosor não se lembrava do sonho, mas no seu íntimo sabia que este sonho era de suma importância. Até o verso 3 do capítulo 2, o idioma no qual estava escrito era o hebraico. A partir do verso 4, o texto está em aramaico. Na verdade, Daniel está escrevendo às nações vizinhas de Israel, que não falavam o hebraico.

 

Ao  acordar, o rei pede que os sábios da Babilônia lhes digam qual o sonho que ele havia tido, e o que este sonho significava. Os sábios de Babilônia não tinham condições de responder ao rei.  Eles tentaram ganhar tempo, pois percebiam que a situação já estava fora de controle, pois o rei falava sério. Nesta altura dos fatos, fica evidente que os poderes humanos de adivinhação, previsão, e astrologia dos magos, na realidade, não existem. Deus sempre age onde a sabedoria humana não age. Deus faz o que nenhum homem pode fazer. Deus é quem conhece o futuro.

 

Daniel não sabia o que estava acontecendo, até que Arioque, Capitão da Guarda, lhe falou sobre o decreto de morte que o atingiria. Por ser um sábio, Daniel também teria que morrer. Daniel mostra calma no momento de aflição, pois confiava em Deus, e sabia que Deus estava no controle da situação, pois quando Daniel acabou a prova do TCC na Universidade da Babilônia, com o próprio Reitor da Universidade de Nabucodonosor, a palavra diz: Daniel 1:17 (ler o texto). O Rei tinha convocado os sábios da mais alta Corte e Daniel e seus amigos, mesmo sendo considerados sábios no Capítulo 1, não foram convidados.

 

Quando Daniel fica sabendo do decreto, pede um prazo ao rei. O que mais tinha enfurecido o rei foi a demora dos sábios em lhe dar resposta. Daniel se apresenta com humildade e simplicidade diante do rei. O seu pedido foi. Os caldeus pediam ao rei que lhes falasse o sonho, e eles iriam interpretar. Mas Daniel pede única e exclusivamente tempo, e o rei concedeu. Daniel vai para a sua casa e relata aos seus amigos Hananias, Misael e Azarias, pedindo a eles que orassem a Deus pela solução do problema. O Senhor é o único solucionador de questões impossíveis. Na Bíblia vemos que a história sempre foi marcada pela atuação de Deus, para chegar no seu plano final. Um questionamento que sempre aparece está ligado ao livre arbítrio que Deus deu aos seres humanos. Na verdade, o que temos é um livre arbítrio condicionado. Toda vez que o livre arbítrio do homem começa a interferir nos planos de Deus, ele redireciona a história.

 

COLOQUE EM DISCUSSÃO

  1. Em sua vida, alguma vez o Senhor já falou com você através de sonhos ? (respostas variadas)
  2. Qual a sua atitude quando o Senhor fala com você através de sonho? O que você faz ou o que deveria fazer? (respostas variadas)
  3. O Capítulo 2 do livro de Daniel nos fala sobre os reinos da Terra. Grande parte das profecias deste livro já se cumpriram, reinos estabelecidos já passaram, e a cada dia nos aproximamos mais e mais da volta do Nosso Senhor Jesus Cristo. Você está preparado para se encontrar com Ele?
  4.   O que mais falou ao seu coração nesta mensagem? (Respostas variadas).

 

 

CONCLUSÃO

Sabemos que pelas profecias o Reino milenar de Jesus se aproxima e será estabelecido na Terra para sempre; haverá sim um império mundial, não mais controlado por homens, mas agora comandado pelo próprio Deus. Por isso, neste tempo tão difícil em que vivemos, sabemos que nos aproximamos do que fala a profecia. E para isso é importante que estejamos preparados, cheios do Espírito Santo de Deus, não nos contaminando com as coisas deste mundo. Que a esperança da volta de Jesus esteja sempre em nossos corações, incentivando-nos a todos os dias termos comunhão com o nosso Deus. Tenham uma semana abençoada. Shalom.