Células

04/09/2018 - Daniel na cova dos leões

ESTUDO DA CÉLULA

        

 

 Daniel na cova dos leões

 

Pr. José Gino Borges

 

 

04 de setembro de 2018.

 

  RESUMO DA MENSAGEM

Texto: Daniel 6:1-28. Vivemos uma crise de integridade, talvez a maior deste século. Podemos confiar no ser humano, nas autoridades, se observarmos a queda da Babilônia, assunto que tratamos nos 5 capítulos de Daniel? No poder absolutista, o rei era a lei; assume agora um novo governo, o Império Medo Persa. Agora a Lei é maior que o governo e o governo é refém da própria lei. Se ele assinar um decreto, ele está obrigado a cumprir a sua própria lei.

 

Mudou o governo, mudou o regime, mudou o coração dos homens. Tanto é fato que quando Dario assume o governo, ele fica preocupado com a corrupção que aflige a sua alma. A pergunta era: Será que eu não vou ser minado? Será que não vão me puxar o tapete?  E ele então toma a medida de nomear 120 sátrapas e 3 governadores. Porque ele estava com medo que tivesse corrupção no seu governo. O temor de Dario ocorreu, a política do novo governo entrou toda corrompida. Porque na verdade mudam-se as estruturas, mudam os partidos, mas não muda o coração do homem.

 

Daniel foi um homem íntegro num meio encharcado de corrupção. Dario não podia fazer uma coisa, ele não conhecia o coração dos 120 sátrapas e dos três governadores que ele estava nomeando. Diz a bíblia que destes 123 homens do primeiro escalão do governo de Dario, 122 se corromperam. Que tragédia, que desastre, apenas Daniel não se corrompeu. Uma coisa é certa. Daniel nos mostra que é possível ser íntegro, mesmo cercado de um mar de lama. É possível alguém não se dobrar, é possível alguém não se vender. José era íntegro, Jó era íntegro e Daniel foi íntegro.

 

A base da integridade de Daniel foi sua fé em Deus. Agora a cúpula do governo de Dario chega uma conclusão: se nós não acusarmos Daniel na lei do seu Deus, nós não vamos achar nada. Porque isto? Porque um homem e uma mulher íntegros são uma ameaça  contra todo esquema de corrupção. A integridade incomoda muita gente corrupta, porque ela desarticula os esquemas. Aprendemos em Daniel que a pessoa que bajula é a mesma que maquina o mal. Os outros dois governadores e os 120 sátrapas foram para o rei Dario e começaram a bajular. E disseram para o rei: - Tivemos uma boa ideia. Achamos que você, oh rei, deve ser Deus por trinta dias, dentro de trinta dias qualquer súdito  que fizer oração que não seja para você oh Rei deve ser jogado na cova dos Leões. Atrás da bajulação há sempre uma isca. Disseram ao Rei todos os governadores , e todos os sátrapas chegaram a conclusão, que você, oh rei, deve ser deus por 30 dias, ninguém pode orar a não ser para ti, oh Rei. Aí entra a mentira, aí entra a conspiração. Porque Daniel não estava neste propósito, ele foi excluído e não sabia de nada disto. O que eles queriam era destruir Daniel através das mãos do rei, deixando o caminho livre para eles.

 

Olha a trama, a arapuca que a nomeação do rei armou para Daniel. Os que bajulam são os que maquinam o mal e o executa. Daniel nos ensina que um homem pode ser íntegro tanto na adversidade como na prosperidade. No capítulo 1 Daniel foi levado como adolescente e ele decide não se contaminar com as iguarias do rei. Daniel foi íntegro, mesmo estando no topo da pirâmide. Daniel foi assistente de Nabucodonosor durante 45 anos, o tempo do seu reinado. Babilônia caiu, Daniel continuou homem de Deus, representando Deus no governo de Belzasar, e continuou com destaque no governo de Dario e Ciro, o Persa. Ele não se corrompeu quando era jovem, era velho, era pobre, e era rico. Não é o lugar que torna uma pessoa corrupta, é uma questão de caráter. Um funcionário público pode ser íntegro, um aluno na escola pode passar sem colar, um jovem pode manter um namoro limpo antes do casamento, você pode ser íntegro, o patrão pode estar vendo ou não você trabalhar. Integridade não depende de vigilância.

 

Agora,  o rei sanciona o decreto. A sorte de Daniel está lavrada, a lei é maior que o rei, o rei não pode mudar de opinião. Mas quando Daniel soube do decreto, ele não mudou em nada a sua rotina. Continuou abrindo as suas janelas e orando três vezes ao dia voltado para Jerusalém. Daniel ora, e porque ele ora Deus sai em sua defesa. Ele enfrenta tudo e todos com armas espirituais. Daniel creu em Deus e Deus mandou o seu anjo e fechou a boca dos leões. O mal que os inimigos de Daniel intentaram contra ele caiu sobre as suas cabeças.

 

COLOQUE EM DISCUSSÃO

  1. Você tem sido uma pessoa íntegra? Quando você empenha a sua palavra você cumpre? (respostas variadas)
  2.  Diante da alta cúpula do governo de Dario, tinha 120 sátrapas e três governadores. 122 pessoas se corromperam. Só Daniel se manteve fiel. De que lado você iria se posicionar, com 122 ou estaria sozinho? Respostas variadas.
  3. Diante do seu trabalho, você trabalha da mesma maneira se o seu chefe não tiver presente?  Respostas variadas.
  4. No lugar de Daniel, você toparia ir para cova dos leões injustamente e sem murmurar? Respostas variadas.

 

  1.  O que mais falou ao seu coração a mensagem de Daniel? (Respostas variadas).

 

 

CONCLUSÃO

Amados, Deus quer que sejamos pessoas confiáveis e que sejamos pessoas íntegras, mesmo estando sozinhos. Deus nos desafia hoje a sermos como Daniel. A nossa missão aqui na terra é de sermos pessoas transparentes, que glorificam a Deus através das suas vidas.