Células

09/04/2019 - A Ceia do Senhor

ESTUDO DA CÉLULA

        

 

A Ceia do Senhor

 

Pra. Zilda Silva Borges

 

 

09 de Abril 2019.

 

RESUMO DA MENSAGEM

 

Texto: A Páscoa era a festividade mais sagrada do ano religioso judaico. Comemorava a praga final do ano religioso judaico. Comemorava a praga final no Egito, quando os primogênitos dos Egípcios morreram e os Israelitas foram poupados por causa do sangue de um cordeiro que fora aspergido em seus portais. Então o cordeiro foi assado e comido com pão sem levedura. A ordem de Deus foi que através das gerações vindouras as festividades fosse celebrada (Exodo 12). Em cumprimento a ordem de Deus, Jesus celebra a ceia com seus discípulos no cenáculo. Concluindo a ceia cantaram um corinho, e saíram pela noite até o jardim do Getsêmani, foi lá que Jesus foi traído, como predito por Judas, e no dia seguinte foi crucificado. Três verdades sobre a ceia do Senhor: (1 Co 11:26 ler), (lucas 22:19 ler), (lucas 22:20 ler) Tais palavras e atos são plenos de significado, pois nos mostram a própria visão de Jesus em relação à sua morte. Paulo escreveu a respeito da ceia do Senhor, por Divina revelação ( 1 Co 11:23-29) Isto porque Paulo não estava presente quando Jesus instituiu a ceia. Paulo inclui uma informação não encontrada nos evangelhos. ( 1 Co 11:27-29). Podemos perguntar o que significa participar do pão e do cálice indignamente, pode significar ignorar o verdadeiro significado do pão e do cálice,  e se esquecer do tremendo preço que nosso Salvador pagou pela nossa salvação. Ou também pode significar que a cerimônia se torne um ritual morto e formal ao participar com pecado não confessado. Para guardar a instrução e Paulo, cada um deve examinar a si mesmo antes de comer do pão e beber do cálice, em observância ao aviso. Outra observação de Paulo que não se encontra nos evangelhos é: (1 Co 11:26 ler) Isto coloca um limite na cerimônia até a volta de Jesus. Jesus usou dois elementos perecíveis como símbolo de seu corpo e sangue e inaugurou como monumento da sua morte. Hoje os monumentos de morte dos homens são figuras de latão e bronze. O monumento de Jesus foi: Pão e suco de uva. Três verdades se destacam: 1- A primeira é a centralidade de sua morte. Jesus estava dando instruções para o seu próprio culto memorial. Eles deveriam comer o pão e beber o vinho em sua memória. Além do mais, o pão representaria: - não somente o corpo vivo de Jesus, como também o corpo dado em favor deles. Enquanto o vinho representava o seu sangue derramado. Em outras palavras ambos os elementos apontavam para a morte de Jesus. E era pela morte que Jesus desejava ser lembrado. Diferente de nós que desejamos ser lembrado pelo dia que nascemos. A segunda verdade que aprendemos com a ceia do Senhor diz respeito ao propósito da morte de Jesus. ( Mateus 26:28 ler). Através do sangue de Jesus, derramado em sua morte, Deus estabeleceria uma nova aliança, cuja maior das promessas era o perdão dos pecados. A terceira verdade ensinada pela ceia do Senhor é concernente à nossa necessidade de nos apropriarmos de forma pessoal dos benefícios da morte de Jesus.

 

COLOQUE EM DISCUSSÃO

 

  1. No texto vemos sobre a ceia do Senhor, você se lembra de quando tomou a ceia pela primeira vez? O que você sentiu?(respostas variadas).
  2. O que aprendemos com a ceia do Senhor?
  • A Centralidade da morte de Jesus
  • O Propósito de sua morte
  • A nossa necessidade de nos apropriarmos de forma pessoal dos benefícios da morte de Jesus
  1. Quais os beneficios que a morte de Jesus trouxe para as nossas vidas?
  • A nossa salvação
  • A remissão dos nossos pecados
  • A oportunidade de uma nova vida em Cristo

       4- O que mais falou ao seu coração nesta mensagem? (Respostas variadas).

 

 

CONCLUSÃO

 

No drama do cenáculo os discípulos não eram apenas espectadores, mas participantes. Jesus não somente partiu o pão, mas deu-lhes para que comessem. Não somente derramou o vinho no cálice, como também o deu para que bebessem. Da mesma forma, não bastou que Jesus morresse: Temos que nos apossar das bênçãos de sua morte. O ato de comer o pão e beber o vinho foi e ainda é: Uma parábola viva do receber Jesus como Nosso Salvador crucificado, e de nos alimentarmos dele em nosso coração mediante a fé. A Santa ceia, conforme instituída por Jesus, não foi uma declaração sentimental tipo: “Não me esqueçam”. Antes foi um drama com grande riqueza de significado espiritual. Na ceia do Senhor, nos lembramos de onde saímos, que não éramos boa coisa, e Deus sacrificou Jesus no nosso lugar. E aí amados Jesus veio, não para nos julgar, mas Ele veio para nos Salvar. Cumprindo o que foi dito em (João 3:16 ler).